Critério de Semelhança


A chuva lava o que me dói bem fundo, neste dia de incerteza e assalto à mente.
Entraste sem pedir, entraste sem avisar, ainda bem.
O calor do teu coração distante, mas omnipotente fez me esquecer o mundo à volta, acolheste-me no teu espaço que desconhecia, deste me momentos, palavras e um sorriso escondido, entregaste-te e abriste portas que tinha fechado para sempre.

Tornamo-nos os diferentes, que tinha sonhado um dia, mas continuamos a ser a Lua e o Sol, nada apaga a sua cumplicidade e energia, mas nos olhos nunca se olharam. o extâse deste simétrico torna-nos vulneráveis ao irreversível e à omnisciência da correspondência e do inevitável, somos soldados nestas guerras, mas cada um se tornou no Navegador Solitário, feito ou não à imagem semelhança D'Ele...Um dia já longe iremos olhar para trás e virmos a felicidade e luta que deixamos na passagem da vida.
O sentimento inevitável que me oprimio o pensamento fechado liberta a própria liberdade que um dia se dirigerá a ti.
Desculpa o tempo que a vida nunca me quis dar...
Entras-te sem pedir, entras-te sem avisar... Ainda bem, talvez...
Porque a crueldade das alegorias matou o amor dos Homens
By: Mariana Lourenço

1 comentários:

O (A)Normal disse...

a tua amiga doma bem as palavras. Parabéns à Mariana